segunda-feira, 22 de junho de 2009

Divas no samba

Oi meus queridos visitantes e amigos!

Quero, antes de tudo, agradecer os comentários que vêm chegando pouco a pouco aqui no MPBruno. Fico feliz em perceber a repercussão que essa iniciativa vem tendo! É muito bom perceber que existem ainda muitas pessoas que gostam de música brasileira, de samba, de choro, de forró etc. Comentem mais, critiquem, sugiram, fiquem à vontade!

Mas que correria, minha gente! Esta semana não está bolinho! É trabalho para corrigir, aula para preparar, artigo para escrever, banca para participar... sobra pouco tempo para o blog! Mas vamos lá! Dando continuidade às coletâneas de samba, hoje vem uma bastante glamurosa. Não que o samba perca aqui seu apelo popular, sua capacidade de nos pôr na roda, seu baticum envolvente. Nada disso. Apenas dar-se-á voz às maiores intérpretes da nossa dita MPB; a elas, que sempre estiveram ao lado do samba, sempre gravando - em maior ou menor frequência - esse estilo.

São sete divas, sete damas, sete deusas, sete estrelas. Toda elas das mais brilhantes, com a participação especial da mais brilhante de todas: a estrela maior, Dalva de Oliveira. Para baixar e se deliciar, clique aqui.

1. BAIANA DA GEMA - Simone - Para começar um disco de samba, nada melhor do que uma música que mistura Rio e Bahia. Simone está no auge da forma, cantando muito, com a voz tinindo, e a composição do Ivan Lins é realmente cheia de achados.

2. ÁGUAS DE CACHOEIRA - Maria Bethânia - Para que Maribeth dispense seu maestro exclusivo, Jaime Alem, precisa de muito. Foi o caso desse samba, arranjado especialmente por Rildo Hora, discípulo de ninguém menos que Guerra Peixe. Confiram o primor da combinação entre os instrumentos.

3. PROVEI - Zizi Possi - Talvez Zizi seja nossa intérprete mais sofisticada. Poucas cantoras sabem lidar com a própria voz como ela. Embora não tenha conseguido passar incólume à decada de 80 (lembram de "Asa morena"?), seu repertório e sobretudo seus arranjos sempre foram luxuosos. Aqui não foi diferente.

4. PRECISO ME ENCONTRAR - Marisa Monte - Logo depois de Zizi, Marisa nem soa assim tão especial. Mas, escorado num belo arranjo de pandeiro, bandolim e cavaquinho, qualquer um fica melhor. E a ameixa do pudim é a chancela Candeia, a quem a a intérprete não ousa negar menção.

5. FOLHAS SECAS - Gal Costa - Nelson Cavaquinho sabia compor como poucos e, quando um samba seu cai na voz de uma grande intérprete, parece que os céus conspiram. Reparem na voz límpida de Gal, que parece estar sorrindo enquanto canta.

6. PRA QUE AFINAL - Elizeth Cardoso - Conhecida como "a mãe de todas as cantoras brasileiras", a Divina era mesmo exemplar. Consegue cantar um samba dolente, popular, sem deixar de impor a sua marca, das notas alongadas e a suave impostação da voz.

7. É COM ESSE QUE EU VOU - Elis Regina - Os arranjos de Elis nunca foram propriamente de samba, desses com percussão de mão e instrumentos típicos. Eram muito mais de piano, baixo e bateria. Mas a menina era tão perfeita no cantar que, mesmo levemente engessada nesse formato pouco buliçoso, ela conseguia se mostrar malemolente.

8. SE EU SOUBESSE QUE TU VINHAS - Simone - O ritmo se acelera e Simone só ganha com isso. Sua voz pesada e marcante se encaixa perfeitamente aos compassos mais ligeiros. E a composição de Martinho da Vila é a cama em que ela deita e rola. Que delícia!

9. ILUMINA - Maria Bethânia - Agora é a vez de Noca da Portela receber a graça de ser interpretado por uma diva. E a Abelha Rainha solta a voz, como se rodopiasse de olhos fechados por um terreiro de samba carioca. A percussão bem marcada e o violão ponteado dão o toque final.

10. ATÉ NÃO MAIS - Zizi Possi - Um samba mais elitizado, de harmonia e letra bem mais sofisticados que a maioria. Faz sentido e não soa pernóstico, quando quem está cantando é Zizi Possi. O arranjo também foge do padrão mais tradicional. Mas continua tudo na seara do samba.

11. LENDA DAS SEREIAS - Marisa Monte - Raras são as cantoras da MPB que até hoje não se renderam e gravaram um bom samba enredo de avenida. Marisa Monte o fez em seu primeiro disco, lembrando o ano de 1976, quando o Império Serrano desfilou com essa obra maravilhosa. Este ano, 2009, a escola voltou a desfilar com esse samba. Foi um desfile encantador, contagiante e emocionante... mas que não rendeu tanto assim para o povo da Serrinha.

12. A RITA - Gal Costa - Chico Buarque também é sambista e, até quando tenta fazer um sambão aos moldes tradicionais de morro, acaba criando coisas tão tofisticadas quanto lindas. Vale a menção que o compositor faz ao seu inspirador, Noel Rosa. Salve!

13. VEM - Elizeth Cardoso - Cartola é o compositor da vez, luxuosamente interpretado aqui pela Divina. Reparem na perfeita harmonia que existe entre a percussão, o violão, o cavaquinho, o piano e a voz da intérprete. Uma maravilha!

14. ALÔ! ALÔ! TAÍ CARMEN MIRANDA - Elis Regina - Na década de 70, a gravadora Philips lançou um disco só com seus artistas mais importantes cantando sambas enredo antológicos, do quel foi pinçada esta faixa. Ideias como essa, ousada, popular e refinada, não se têm mais hoje em dia pelas gravadoras. Uma pena.

15. PAREI CONTIGO - Simone - Outro sambão, bola quicando para Simone chutar certeira ao gol. A letra é perfeita e a melodia empolga bastante. Também pudera: Paulo César Pinheiro foi quem escreveu os versos e Ivan Lins, quem compôs a melodia.

16. MULHER, SEMPRE MULHER - Maria Bethânia - O branco mais preto do Brasil não poderia ficar de fora, tendo feito tantos sambas lindos. E o arranjo, sensacional, que vai crescendo e se avolumando, é só mais um detalhe, ao lado da sempre brilhante interpretação de Bethânia.

17. ESCURINHA - Zizi Possi - Agora parece que Zizi atingiu o ápice da sofisticação. Um piano irriquieto, uma percussão discreta e uma clarineta malandra bastam para que a intérprete se solte e mostre que sabe cantar samba com graça e desenvoltura, sem perder a classe costumeira.

18. ESTA MELODIA - Marisa Monte - E, como Marisa Monte não é boba nem nada, para cantar um samba desse quilate ela pediu respaldo à Velha Guarda da Portela. Foi tiro certeiro, que popularizou seu lado sambístico e deu destaque ao povo bamba de Madureira. A parceria ainda iria longe, com mais CDs, documentários, amizades etc.

19. O ORVALHO VEM CAINDO / FITA AMARELA / ATÉ AMANHÃ / PALPITE INFELIZ - Gal Costa - Um Noel Rosa encanta muita gente. Quatro Noéis encantam encantam encantam encantam muito mais. Quatro Noéis e uma Gal é mão de sorte, que blefe nenhum derruba.

20. MENTE AO MEU CORAÇÃO - Elizeth Cardoso - Maria Rita gravou esse samba em seu disco de estúdio mais recente. Alguns neófitos talvez tenham pensado se tratar de composição feita especialmente para ela. Qual nada! É samba velho, dos bons, dos que ficam. E a participação de Silvio Caldas só enriquece a obra.

21. VOU DEITAR E ROLAR - Elis Regina - Mais Paulo César Pinheiro, deixando claro que é ele um dos maiores letristas que a música brasileira tem. E Elis parece estar bem à vontade, cantando solta, entre deboches e notas cheias, quase gargalhando. É para quem pode!

22. TUDO É ILUSÃO - Dalva de Oliveira - Só a Estrela Dalva seria capaz de gravar um sambão desse, com um arranjo pomposo, todo trabalhado na orquestra de cordas e no naipe de metais. E só ela seria capaz ainda de cantá-lo assim, esticando as notas ao limite do suportável, dobrando os Rs até não mais poder. Ela parece cantar em um andamento e a orquestra tocar em outro. É luxo puro, para os que sabem apreciar a boa música. Atemporal.

Link para baixar esta coletânea: http://www.4shared.com/file/113555548/fd53cf7c/Divas_no_samba_-_mpbrunoblogblogspotcom.html.

4 comentários:

contatosimediatos disse...

Rapaz,

O negócio é sério, hein! Sem comentários, só elogios!
Presente e operante nas atualizações do MPBruno!
Jr.

Anônimo disse...

Gostei de reencontrar os comentários, faixa a faixa. Indispensáveis, queridão. Adiante!

Vitinho disse...

Adorei o musicas para namoro que acabou!
vou sugerir um tema de coletânea.
Músicas para dias chuvosos
=)

Anônimo disse...

Cada coletanea é melhor do que a outra, como pode? O blog é excelente, visito sempre!
PARABÉNS!
Mauro Dias