terça-feira, 16 de junho de 2009

Semente do samba

Oi, minha gente!

Depois de reverenciar os antigos guardiões do samba, chega a hora de apresentar seus defensores mais jovens. São cantores e compositores bastante jovens, defentendo, cada um à sua moda - uns com mais ousadia, outros de forma mais conservadora - o legítimo samba brasileiro. Tem para todos os gostos! E, para baixar, basta clicar aqui!

1. Semente do samba - Ana Costa - Para abrir o CD, um samba novo, que exalta justamente essa nova geração do samba, essa constante e saudável renovação. A letra é lindíssima e a voz de Ana é tão delicada quanto precisa. Ouçam com atenção.

2. Amor sem preconceito - Pedro Miranda - Outro samba novo, na voz de um sambista que desponta atualmente. É a modernidade rendendo homenagem e respeito aos sambas antigos, com melodia, letra e arranjos que remetem às obras mais antigas e tradicionais.

3. Alô, fevereiro - Roberta Sá - Uma das melhores cantoras da chamada nova geração, Roberta sempre foi fiel ao samba. Esta é uma faixa típica do seu repertório, que junta composições antigas e esquecidas a arranjos modernos e sofisticados.

4. Minha missão - Mariana Aydar - Quando surgiu no mercado fonográfico, Mariana recebeu muito destaque. Na minha opinião, foi supervalorizada. E ela chega a soar esnobe ao não se classificar como sambista. Então por que gravar tantos sambas e ser apadrinhada justo pela radical e tradicionalista Leci Brandão? Mariana é sambista, sim. E sorte dela!

5. O samba é meu dom - Fabiana Cozza - A voz mais forte e quente do Samba contemporâneo vem de São Paulo. Fabiana canta aqui uma espécie de manifesto dos novos sambistas, exaltando os mestres antigos e defendendo com raça esse ritmo, esse estilo de vida. Vale destacar a menção a João Gilberto. Ele deve ter adorado.

6. O passar dos anos - Teresa Cristina - Agora é a vez da estrela maior da Lapa mostrar porque faz tanto sucesso. Teresa sabe cantar, é dona de timbre especial, tem ritmo e ainda compõe. Sua liderança na revitalização da Lapa - e a consequente redescoberta do samba - não é à toa.

7. Fita meus olhos - Mariana Baltar - Mas a Lapa é grande e generosa o suficiente para nos dar outras estrelas. Mariana Baltar é mais uma delas. Aqui ela aparece cantando Cartola, emprestando ao samba toda sua graça e contundência vocal.

8. Falso rebolado - Alfredo del Penho e Pedro Paulo Malta - Dupla da pesada! Dois sambistas muito jovens, extremamente inteligentes na escolha do repertório e dos arranjos. Reparem na perfeita harmonia entre tradição e modernidade.

9. O conde - Nize Carvalho - Cavaquinhista, chorona, sambista da boa e já de tempos (apesar da pouca idade), Nilze é só talento. Como dar uma cara nova a um samba tão antigo e já tão consagrado por outros cantores? Ouçam e tenham a resposta.

10. Entretanto - Mart’nália - Filhos de cantores ou compositores de sucesso raramente conseguem sair da sombra dos pais. Simoninhas e Jairzinhos estão aí para provar que uma família Caymmi só acontece no mundo uma vez. Só que Mart'nália consegue trazer no DNA o melhor do samba carioca, sem deixar de impor (sempre) a sua inconfundível marca. Que voz! Que suingue! Que malandragem!

11. O canto da raça - Hamilton de Souza - Faixa que entrou na coletânea por puro mérito. Melodia gostosa, meio ancestral, meio pagode. Letra que pega na alma. Arranjo perfeito e cantor excelente. É de coisas como essa que estamos precisando!

12. Maltratar não é direito - Maria Rita - Quando sua carreira ameaçava cair na obviedade e na falta de criatividade, Maria Rita não titubeou: se armou de surdo e cavaquinho e lançou um disco só de sambas. Foi uma guinada e tanto, que lhe devolveu o prestígio. É por essas e por outras que o samba é o ritmo brasileiro por excelência.

13. Eu canto samba - Dorina - Outra voz carioca da contemporaneidade, levando o samba adiante, misturando tradição com modernidade. E a composição que aqui ela canta, de Paulinho da Viola, é para ninguém botar defeito. Viva o samba!

14. Amor proibido - Juliana Diniz - Neta de Monarco, Juliana está mais para uma Marisa Monte do que para uma Beth Carvalho: seus agudos são frágeis e ainda lhe falta raça na voz. Mas o arranjo (de Rildo Hora) e a participação luxuosa da Velha Guarda da Portela melhoram tudo.

15. Meu romance - Marcos Sacramento - Este nunca negou ser sambista de fato, já tendo gravado sambas de todos os tipos. Sua voz é marcante, seu jeito de cantar é envolvente e seu repertório é primoroso. Marcos Sacramento em breve lança mais um disco. Deve vir coisa boa.

16. Lama - Belô Velloso - Sobrinha de Caetano Veloso e Maria Bethânia, Belô ataca aqui de Clara Nunes. E se sai bem, ponto sua afinação perfeita a serviço da elegância típica dos sambas em tom menor, quase lamentos.

17. Se você jurar / Jura - Sururu na Roda - Dois sambas antiquíssimos, da primeira geração do samba, ganhando contornos de modernidade no arranjo vocal desta gravação. É que não se pode ser modernoso, sem se saber de onde se veio.

18. Alvorecer - Mônica Salmaso - Sem nunca ter sido, de fato, uma sambista pura, Mônica desde sempre gravou sambas. E sempre o fez muito bem! Esta faixa foi pinçada de um disco em homenagem a Clara Nunes, daí seu arranjo tradicional. A voz de Mônica está deliciosa!

19. Conto de areia - Márcio Art - Alguns pagodeiros, quando recebem a incumbência de cantar samba de verdade, acabam surpreendendo. É o que acontece aqui e dá gosto de ouvir uma voz jovem, escorada em um arranjo elegante, reverenciando um clássico da voz de Clara Nunes.

20. Reza forte - Serjão Loroza - Que voz tem esse rapaz! Pena que se dedique mais às novelas e aos comerciais de cerveja do que ao samba. A letra também faz reverência a uma das possíveis origens do samba, fazendo arrepiar qualquer um.

21. Camisa amarela - Vânia Abreu - A irmã de Daniela Mercury aparece nesta coletânea representando a elegância do samba elitizado, cantando um típico Ary Barroso. É a base rítmica do samba tradicional, mas com harmonias muito mais refinadas. O violão solando "A jardineira" é sensacional!

22. 400 anos de favela - Casuarina - Para terminar, um grupo de sambistas novos, também da Lapa. É a animação do samba, sempre resgatando do passado as pérolas e as tradições, para poder se lançar forte ao futuro.

Porque, como diz Jesus Martin Barbero, não se pode ser fiel a uma tradição cultural antiga sem que se acabe automática e obrigatoriamente transformando-a em algo novo.

Link para baixar o disco: http://www.4shared.com/file/112305809/5e2ece64/Semente_do_samba_-_mpbrunoblogblogspotcom.html.

2 comentários:

Anônimo disse...

Essas músicas são lindas, os comentários abalizados e a Lapa, como todo o Rio, é demais! Adiante, queridíssimo. Bjs.

Marcio disse...

que lindo, brunão! maior compromisso com a música mesmo hein! Adorei o blog!